Hospital América - Notícias
MENU

 

Fevereiro Laranja

Adicionado em 01.02.2019 - Voltar para notícias

Hematologista infantil do Hospital América de Mauá faz alerta sobre o combate à leucemia

A campanha Fevereiro Laranja foi criada com o objetivo de conscientizar e combater a leucemia, ressaltando a importância da prevenção, do diagnóstico precoce, do conhecimento dos sintomas e dos tratamentos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), para o Brasil, no ano de 2019, estimam-se 5.940 novos casos de leucemia em homens e 4.860 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 5,75 casos novos a cada 100 mil homens e 4,56 casos novos para cada 100 mil mulheres. “A leucemia é uma doença caracterizada pela expansão clonal de precursores hematopoiéticos na medula óssea (fábrica do sangue), ou seja, ocorre a produção das células anormais na medula óssea em substituição aos elementos normais”, explica a Dra. Bianca Ribeiro Barreto, hematologista infantil, prestadora de serviços no Hospital América de Mauá.

 

São várias as linhagens celulares que derivam da medula óssea, a partir do tipo de glóbulos brancos que elas afetam. As leucemias podem ser divididas em 2 grupos: linfoides ou mieloides. Além disso, quanto ao tempo de crescimento, elas podem ser classificadas como agudas (crescimento rápido de células imaturas) e crônicas (as células maduras aumentam, porém, são anormais). “Na infância, por exemplo, as leucemias agudas representam 30% das neoplasias da criança. O tipo mais comum é a LLA (leucemia linfoblástica aguda), sendo os fatores de risco e prognósticos: idade da criança ao diagnóstico, contagem de leucócitos (células de defesa) no hemograma, e exames como imunofenotipagem e cariótipo, comprometimento do SNC (sistema nervoso central) ao diagnóstico e resposta precoce à terapia. No caso da LMA (leucemia mieloide aguda), temos como fatores de risco: exposição pré-natal (ao álcool, pesticidas e infecções virais), exposição ambiental (radiação ionizante, infecções virais, pesticidas, solventes orgânicos como o benzeno, dentre outros), além de doenças hereditárias e doenças adquiridas”, comenta a hematologista.

 

Nas leucemias agudas infantis, geralmente os sintomas são: palidez, hepatomegalia (fígado aumentado de tamanho), esplenomegalia (baço aumentado de tamanho), dor óssea, linfadenopatia, febre em consequência de infecções, sangramentos como petéquias (pontos vermelhos no corpo, que não somem a digitopressão), hematomas, sangramento de gengiva, hipertrofia gengival e infiltrações cutâneas. “O diagnóstico é realizado a partir de uma suspeita clínica, e, em seguida, são realizados exames complementares. O primeiro deles é o hemograma, cujas alterações importantes nos fazem realizar a coleta e análise da medula óssea, através do mielograma. Após esses, são realizados outros exames para melhores caracterizações dos tipos de leucemias”, ressalta a especialista.

 

O tratamento da leucemia visa eliminar as células malignas, para isso, são realizadas medicações quimioterápicas. Em alguns casos, o transplante de medula óssea é indicado. “Conseguimos nos prevenir da leucemia evitando alguns fatores de risco, como aqueles associados à exposição à radiação ionizante, solventes orgânicos (benzeno) e pesticidas”, finaliza.

 

Dra. Bianca Ribeiro Barreto | Hematologista Pediátrica, prestadora de serviços do Hospital América de Mauá | CRM: 166.231

 

 

Sobre o Hospital
Fundado em 1976, com o nome de Socimma – Sociedade Médica de Mauá S/C Ltda. –, por um grupo de médicos conceituados na região, o Hospital América, centro de excelência em saúde em Mauá, São Paulo, foi inaugurado em 1998. A Instituição ocupa uma área de 10 mil m², comportando instalações capazes de proporcionar mais de 1.200 atendimentos diários entre pronto atendimento, ambulatório de especialidades médicas, clínicas e cirúrgicas, terapias, exames laboratoriais e por imagem, com alta qualidade e precisão. O Hospital América é o primeiro na cidade de Mauá a possuir a Certificação ONA nível I e um dos poucos hospitais na região do ABC com independência e investimentos próprios. Seu corpo clínico é formado por 300 médicos prestadores de serviços e 550 funcionários. O Hospital América vem investindo constantemente na qualidade dos seus serviços, ampliação da UTI, número de leitos, infraestrutura tecnológica, disponibilizando especialistas focados na saúde e em novos equipamentos. Seu objetivo é potencializar seus serviços aos pacientes com profissionais capacitados, estrutura física e tecnologia.